Sunaitec é o inovador equipamento português de produção de energia solar térmica através de tecnologia de concentração e guiamento solar inteligente. Esta foi a solução escolhida pelo Empire Lisbon Hotel (Lisboa) e Hotel MH Atlântico Golf (Peniche) para o aquecimento das águas sanitárias.

Únicos no mundo e com uma série de patentes nacionais e internacionais, nomeadamente na União Europeia, EUA, Canadá, Austrália e China, os colectores solares térmicos desenvolvidos pela empresa com o mesmo nome partem de um conceito que pretende harmonizar energias renováveis, tecnologia e espaço envolvente, registando uma eficiência até 30 por cento superior a um colector tradicional.

Desenvolvida e patenteada pelo engenheiro aeronáutico Amílcar Lopes, a Sunaitec diferencia-se por ser capaz de resolver os problemas estéticos dos arquitectos e os problemas técnicos dos engenheiros projectistas e instaladores num só equipamento, em oposição aos tradicionais equipamentos de captação de energia solar. Ambas as instalações foram realizadas pela Frostline, instalador certificado da tecnologia Sunaitec, que propôs esta tecnologia nacional por ser uma solução que resolve problemas de sobre-aquecimento que podem ocorrer com os sistemas tradicionais durante períodos de baixa utilização de água quente solar, como é o caso do segmento hoteleiro. A tecnologia permite ainda que, além do cliente, a empresa que fica a cargo da instalação tenha acesso online a todos os parâmetros da instalação solar, reduzindo substancialmente os custos de manutenção.

No hotel de Peniche, composto por 116 quartos, foram instalados 70 receptores solares Sunaitec para efectuar o aquecimento das águas quentes sanitárias e da piscina de 96 metros quadrados. Como principais benefícios, verifica-se uma poupança de cerca de 68 por cento dos gastos totais, o equivalente a cerca de 12.000 euros de redução na factura energética anual e uma redução da pegada ecológica próxima das 18 toneladas/ano. Com 63 quartos, o Empire Lisbon Hotel recorreu à Sunaitec após a autarquia lisboeta não ter autorizado a instalação de colectores tradicionais, devido ao impacto arquitectónico que estes traziam ao edifício e edifícios circundantes. No total, foram instalados 26 receptores solares na posição horizontal, o que permitiu a utilização de apenas um terço da área da cobertura e uma diminuição substancial do impacto arquitectónico. Estima-se que os receptores solares Sunaitec conduzam a uma poupança de cerca de 50 por cento dos gastos totais com aquecimento de águas sanitárias, reduzindo assim perto de 5.000 euros/ano na factura energética e perto de sete toneladas/ano na pegada ecológica.